quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Quando o parmeiras entregou o ouro

Post retirado do blog do PVC


O ano de 1989 começou com a repercussão do acidente do Bateau Mouche, embarcação que naufragou durante a festa do reveillón na costa brasileira. Começou também com o Palmeiras montando um time forte, na tentativa de acabar com a sequência de treze anos sem títulos.

O Palmeiras seguiu invicto até o a fase quartas-de-final, disputada em quatro triangulares. No do Palmeiras, de Émerson Leão, Neto e Edu Manga, caíram Bragantino e Novorizontino. Uma única derrota por 3 x 0 para o Braga, em Bragança, causou a eliminação palmeirense.

Dois apelidos pegaram naquele ano. O Palmeiras era o Bateau Mouche, porque a campanha começava em festa e terminava em tragédia, como a embarcação que naufragou no reveillón.
E virou Bragantine's 13 anos, referência ao Bragantino.

No mesmo 1989, o Palmeiras chegou à penúltima rodada da fase de classificação do Brasileiro dependendo só de suas forças. Era líder e se vencesse o Botafogo poderia até jogar pelo empate contra o Corinthians.

Caiu no Maracanã com um gol do lateral Vanderlei, aos 46 do segundo tempo. Perdeu para o Corinthians com gol de calcanhar de Cláudio Adão, depois de um chapéu no zagueiro Marco Antônio. E o Vasco foi à decisão do Brasileiro contra o São Paulo.

undefined

Dois anos depois, o Palmeiras cometeu outro deslize monstro no Campeonato Brasileiro. A seis rodadas do fim, liderava o torneio que classificava os quatro melhores para a fase semifinal. Terminou em sexto. Questionado sobre o assunto no Bola da VEz, em 1999, Paulo César Carpegiani disse: "Meu ataque era o Betinho na ponta-esquerda, o Jorginho na direta e o Erasmo como ponta-de-lança. Machucou o Betinho e o Erasmo. Terminou meu time!" (Erasmo é o ponta-direita da foto acima, em partida contra o XV, em Piracicaba).

Situação parecida, o Palmeiras viveu em 2001, dirigido por Celso Roth. Na 11a rodada, de um total de 25, o Palmeiras liderava com três pontos de vantagem sobre o São Caetano. Os oito melhores classificavam-se para as quartas-de-final. O Palmeiras terminou em 11o lugar.

Hoje, Celso Roth torce, de camarote por um tropeço palmeirense tão grande quanto aquele. O Campeonato Brasileiro está aberto. Qualquer um dos cinco primeiros colocados pode ser campeão nacional.

2 comentários:

Leonardo Resende disse...

Tudo bem, perder do Santo André é um pouco demais, mas o time do Palmeiras não é e nunca foi isso tudo que a mídia prega.

É uma equipe altamente previsível que é extremamente dependente de Diego Souza e Cleiton Xavier. As principais jogadas ofensivas são chutes de fora de Diego, bolas paradas e bolas alçadas na área.

Acho que a maioria dos adversários já percebeu “o plano infalivel” do Muricy que deu certo no São Paulo e agora ele adota no Palmeiras.

O Náutico já sabe como anular o ataque do Verdão, o Flamengo também, e agora até o Santo André…

É bom o Muricy ter uma carta na manga, senão a equipe continuará descendo a ladeira…

Visite também o Rio Futebol, se puder!

Grande abraço,

Leonardo Resende
Rio Futebol
http://riofutebol.blogspot.com
adm.riofutebol@gmail.com

Saulo disse...

Palmeiras, São Paulo, Internacional, Atlético-MG e Flamengo. Um desses vai ser o campeão.

Postar um comentário

Um blogueiro sempre gosta de ver comentarios em sua notícia. Por isso, sempre que possivel comente!!!